Através de minúsculos monitores integrados ao produto, lentes permitem a visualização de figuras digitais e de realidade aumentada

Não é de hoje que podemos acompanhar uma série de produtos-conceito voltados para projeção de conteúdo visual, mais especificamente óculos e lentes de contato com a capacidade de reproduzir imagens bem diante dos nossos olhos.

Anteriormente, você viu aqui no Olhar Digital que pesquisadores da Universidade de Washington criaram uma espécie de antena acoplada a uma lente computadorizada que permite a leitura de e-mails, como também ser usada em dispositivos de games ou sistemas de navegação. Outra invenção veio da mesma faculdade, que recriou o olho do “Exterminador do Futuro” para possibilitar a transmissão de textos e imagens sem a necessidade de telas ou periféricos.

Agora, a Innovega, uma empresa com sede também em Washington, EUA, anunciou aquele que promete trazer de vez a ficção científica para a realidade. O iOptik é, na verdade, um par de lentes de contato que, além de dispensar o uso dos óculos, permitem a visualização de imagens virtuais e de realidade aumentada em 3D sem o uso de qualquer aparelho, mas sim através de minúsculos monitores integrados ao produto.

Pelo fato das figuras serem tão pequenas, o conteúdo pode ser alojado em uma grande quantidade de objetos, e o poder de transmissão das lentes poderia ser potencializado quando usadas em conjunto com um óculos de sol, por exemplo. Dessa forma, a visualização em terceira dimensão permite imagens semelhantes àquelas vistas em um filme de cinema ou jogo de videogame, por exemplo.

A tecnologia por trás da iOptik é bem simples: filtros embutidos nas lentes são concentrados nos micro-displays que, ao entrarem em contato com os globos oculares, ampliam as figuras em um tamanho adequado à visão, como se a pessoa estivesse assistindo a um programa de TV. A resolução do conteúdo não é afetado, independentemente do quão pequena seja a imagem.

Contudo, vale lembrar que não foi informado se o uso dessas lentes pode provocar efeitos negativos nos olhos, se usadas a longo prazo. Além disso, ainda não foi divulgado o valor exato que a iOptik será vendida. Mas, especula-se que não será tão mais cara que as lentes de contato convencionais. Estima-se que elas estarão ao alcance de todos no mercado em cerca de dois ou três anos.

Maria Eduarda Vianna Bohn

Author Maria Eduarda Vianna Bohn

More posts by Maria Eduarda Vianna Bohn

Leave a Reply